PARA ANUNCIAR CLIQUE AQUI | GRÁTIS :: PETS E SERVIÇOS

Atenção: a febre maculosa pode matar seu pet

Autor: Nathalia Perone
Categorizados em: Adulto Cachorros FIlhote Gatos Lifestyle Não tem pet Quer mais 1 Saúde Senior Tem pet
Atenção: a febre maculosa pode matar seu pet

A Febre Maculosa, frequentemente chamada de Tifo, é uma doença infecciosa conhecida por agir muito rápido no organismo.  E, apesar de muitas pessoas acharem que os pets são importantes transmissores do vírus, a real é que eles são tão vítimas quanto nós. O principal veículo da doença é o carrapato. 

O maior indício de infectados é no período entre junho e outubro. Pois, o parasita está mais ativo e, consequentemente, pulveriza a doença com maior intensidade. Além disso, a atenção deve ser redobrada para a população da zona rural. Pois, locais onde há muitos carrapatos e animais silvestres há maior probabilidade de contágio. E, se não tratada a tempo, a Febre Maculosa pode levar a morte.

Infecção e transmissão

Febre Maculosa: o pet também é vítima

A infecção é causada pela bactéria Rickettsia Rickettsii. Apesar do carrapato estrela ser o principal transmissor da doença, outros tipos da espécie também podem adquiri-la. A propagação ocorre unicamente através da picada de um carrapato infectado. Para que haja contaminação, o carrapato deve manter contato com seu hospedeiro por um período mínimo de 4 a 6 horas.  Ou seja, não é possível ser infectado através do ar, apenas através do sangue.

Mas, isso não significa que todo carrapato é um transmissor da Febre Maculosa. Ele precisa ter contraído de algum mamífero detentor da bactéria. O mais comum a se encontrar é a capivara. Mas, pode atingir outros animais, inclusive nossos pets.

Sintomas

Após a infecção, a bactéria pode ficar incubada em média 7 dias. Mas os sintomas podem aparecer entre 2 a 14 dias do contágio.  

Nos cães e gatos, a Febre Maculosa pode causar febre alta, sangue na urina, fezes e mucosa nasal, problemas respiratórios, vômito, diarréia, atrofia muscular, inchaço e necrose nas extremidades do corpo.

Já humanos costumam apresentar dores musculares, dores de cabeça, febre alta, insônia, dor abdominal, vômito, diarreia. Após 2 a 3 dias, aparecem manchas vermelhas e inchaço e necrose nas extremidades do corpo como mãos e pés.

Em ambos os casos, a febre maculosa pode causar paralisia dos órgãos, que começa pelos pés. Conforme o tempo passa, ela espalha-se pelo resto do corpo e ocasiona parada respiratória e comprometimento de outros órgãos vitais.

Diagnóstico

É muito difícil identificar a Febre Maculosa em seu primeiro estágio. Pois, a bactéria fica incubada por pelo menos 2 dias até manifestar seus primeiros sintomas. Além disso, a doença seu quadro inicial, aparentemente, é comuns à inúmeras outras patologias. E, por isso, muitas vezes são ignorados.

Os exames mais comuns para detectar o contágio é o hemograma simples e o exame de enzimas. Em caso de confirmação, o médico solicitará um exame mais específico para a doença.

Febre Maculosa tem tratamento?

De acordo com a SESA- Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo, quanto mais cedo é feito o diagnóstico, mais chances de sucesso para a cura.  O medicamento mais comum e eficiente ao tratamento da doença é o antimicrobiano chamado de Doxiciclina.

A substância pode ser utilizada em todas as faixas etárias, tanto em pets, quanto em humanos. Desde que respeitadas as dosagens prescritas pelo médico.

Não é aconselhável o uso do remédio em casos de pacientes ainda assintomáticos, pois, pode prolongar ainda mais o período de incubação.

Prevenção

É importante sempre fazer a verificação manual na pele do pet para saber se há carrapatos. Sempre escove os pelos de seu pet.

Além disso, evitar levar o animal para locais com muita incidência de carrapatos ou animais silvestres.

De olho no quintal: evite acumular madeira e folhas em quintais e mantenha a grama aparada.

Hoje no mercado pet, existem alguns repelentes de fácil aplicação para cães e gatos. Então, se você mora em uma zona rural, o produto é uma ótima opção preventiva. Além disso, existem medicamentos antiparasitários que além de prevenir contra carrapatos, ainda evita que o pet tenha pulgas e piolhos.

 

Como remover um carrapato da pele

A melhor forma de remover um carrapato com segurança é utilizando uma pinça. Posicione o objeto próximo a boca do parasita, ou seja, a parte que está presa à pele. Então, puxe com cuidado para retira-lo. Verifique se ficaram vestígios do carrapato na pele.  Desinfecte a pele com álcool. A vítima deve ser levada ao pronto-socorro mais breve possível.

 

Já falamos sobre pulgas. Leia nosso artigo!

Veja nossos anúncios de veterinários. 

Cadastrando o seu e-mail na nossa newsletter você recebe conteúdos exclusivos.

 

 

 

 

Quer receber dicas animais?

Melhores amigos sabem tudo um do outro :-) Inscreva-se e receba notícias, dicas e promoções. A gente adora contar novidades!

Selecione abaixo como quer compartilhar este conteúdo
Fechar Um e-mail foi enviado para você redefinir sua senha