PARA ANUNCIAR CLIQUE AQUI | GRÁTIS :: PETS E SERVIÇOS

Quero adotar um cachorro ou um gato: por onde começar?

Autor: Julia Freire
Categorizados em: Adoção Adulto Cachorros Dicas FIlhote Gatos Lifestyle Não tem pet Quer mais 1 Senior
Quero adotar um cachorro ou um gato: por onde começar?

Adotar um pet é uma grande responsabilidade e é preciso pensar e considerar diversos fatores antes mesmo de procurar uma ONG. Mas calma! Nós criamos esse guia para ajudar você nessa decisão super importante.

Diferença entre os cães e gatos

Muitas pessoas acham que os gatos são traiçoeiros e os cães são carinhos e dependentes. Mas não é bem assim!

Os gatos são sim independentes com personalidade própria, mas se apegam ao seu tutor e gostam de companhia tanto quanto os cachorros. Além disso, existem raças de cães que são mais parecidos com os gatos. A grande vantagem do gato é que a manutenção é bem mais fácil: não precisam de passeios, ficam muito bem sozinhos e fazem as necessidades na caixinha.

Por outro lado, eles soltam mais pelos e podem arranhar as coisas se você não tiver arranhador.

Como adotar?

Você pode ir a algumas feiras de adoção ou olhar em nossa plataforma! Contamos com vários anúncios de ONGs para você encontrar seu bichinho!

Como encontrar feiras?

Temos um artigo completo com todas as feiras que rolam no mês, Confira!

Cuidados antes de adotar um cachorro ou um gato

Considerar os gastos

Não custa lembrar que não se deve adotar um bichinho apenas pelo fator fofura. Você será responsável por outra vida, por pelo menos 10 anos, no caso de adotar um filhote. Gastos com alimentação, vacinas e higiene devem ser levados em conta. Entretanto se você acha que não pode arcar com essas despesas, melhor reconsiderar essa responsabilidade.

Saiba qual pet combina mais com você

Sua casa é espaçosa? Você é uma pessoa sedentária? Fica fora de casa o dia inteiro?  Todos que moram com você concordam em ter um pet? Essas são algumas das questões que devem ser levadas em conta na hora de escolher um bichinho. Não haja por impulso. Ao visitar um canil ou gatil, é inevitável se emocionar com as histórias dos bichos. Seja realista e escolha um pet que tenha a ver com você e seu estilo de vida.

Faça uma pesquisa sobre instituições, cuidadores e ONGs de adoção

Pesquise algumas instituições ou ONGs e acompanhe seus trabalhos de perto. Vale lembrar que esses lugares têm orçamento limitado, mas é fácil saber quando os bichinhos estão sendo bem tratados. Os sites devem ter fotos de qualidade não apenas dos pets, mas também do espaço em que eles ficam. Converse com outras pessoas que adotaram pets e peça recomendações de criadores.

Cuidado com as fraudes

Tudo que é demais, desconfie! Há muitas pessoas que se aproveitam da situação para aplicar golpes. Por isso, analise bem o perfil do doador. Faça perguntas sempre. E, se encontrar algo suspeito, a My Txai disponibiliza um botão de denúncia. Desta forma, conseguiremos analisar com critérios rigorosos o perfil do doador.

Filhote ou adulto?

Depende! Filhotes são como crianças: dão bastante trabalho no começo e são bem mais agitados do que adultos, o que exige um certo grau de disposição do dono. Mas com um bom treinamento e incentivo, eles se comportarão bem. Os pets adultos já têm as suas manias, então é bom conversar com o criador sobre isso. Eles também são mais calmos, então para quem não quer um pet correndo pela casa é uma boa opção.

Durante a adoção de animais 

Como é o processo de adoção nas ONGs?

  • Primeiramente, você passará por uma entrevista. Ela determinará se você e sua casa são adequados para receber o pet. Esse processo tem como objetivo evitar abandonos e má qualidade de vida para os pets.
  • Em seguida, serão exigidos alguns documentos. Os mais pedidos costumam ser comprovante de residência, RG e CPF. No caso da adoção em CCZs (Controle de Zoonoses) é necessário levar um coleira e uma caixa para transporte do animal. Isso é importante principalmente para os gatos, que podem se machucar se ficarem soltos dentro do carro. Ainda paga-se uma taxa de R$23,00. É importante ressaltar que o adotante deve ser maior de 21 anos.
  • Algumas ONGs pedem a contribuição do adotante para arcar com despesas como vacinas, castrações, medicamentos, e nos casos mais graves, cirurgias. Sempre solicite os certificados de vacinação e vermífugaçāo.
  • Na CCZ, o pet recebe uma plaquinha de identificação com o número de seu RGA (Registro Geral de Animais) e um chip. Assim, ele é facilmente identificado caso ele fuja ou se perca.
  • Existem ONGs que acompanham de perto a adaptação do bichinho no novo lar. As datas e horários são pré-definidos. Além disso, podem dar sugestões de como lidar com algum problema comportamental.

Casos em que o entrevistado pode não ser aceito:

  • Se a intenção for adotar um gato para controlar uma população de ratos
  • Se a intenção for adotar um cachorro como guarda
  • Se a intenção for adotar um pet apenas como uma “distração” para as crianças

Prepare a casa antes de receber o pet:

  • Tire todos os cabos elétricos (principalmente carregadores de notebooks e de celulares) de vista.
  • Não deixe objetos pequenos que podem ser engolidos pelos pets espalhados pela casa.
  • Fique atento: pisos muito lisos podem desgastar as patas dos animais.
  • O tapete higiênico ou caixa de areia devem ficar distante do local onde é servida a comida do pet.
  • Algumas plantas podem ser tóxicas para os bichinhos. 
  • É indispensável a instalação de telas nas janelas, principalmente para casas que irão receber gatos.

Depois do processo de adoção do bichinho

E se eu ainda não me adaptar?

A maioria das ONGs aceita a devolução dos pets caso o dono não se adapte, mas é justamente para evitar esse problema que o processo costuma ser tão longo.

Leve-o ao veterinário

Assim que você adotar um animal de estimação, leve-o à uma clínica veterinária para exames gerais. Não se esqueça dos comprovantes de vacina e vermifugação. Já pensou em fazer um plano de saúde para seu bichinho?  

Socialização do pet

Os bichinhos podem estranhar o novo ambiente, então tenha paciência. Nos primeiros dias, deixe uma camiseta sua no local onde o pet dorme para ele não se sentir sozinho durante essa adaptação.

Se você já tiver outro pet, deixe-o afastado do novo bichinho pelos primeiros dias. Apresente-os aos poucos. Quando ele já estiver mais socializado, você pode começar a treiná-lo.

Compre brinquedos para o seu novo amigo

O tipo de brinquedo certo vai depender da personalidade do pet. Brinquedos são importantes para que eles não destruam móveis e outros objetos da casa. Mais do que isso, são uma ótima maneira de exercitar a mente.

Alimentação de qualidade

Mais do que alimentar, a ração do seu bicho precisa conter nutrientes que contribuem para o seu desenvolvimento. Mas não se esqueça da água! Vale deixar várias vasilhas espalhadas pela casa. No caso dos gatos, que preferem água corrente, vale investir em uma fonte. Existem diversas opções com os mais variados preços no mercado.

Adoção de gatos exigem mais paciência e cuidado!

Tente não estressar o seu bichano. Os gatos tendem a entrar em pânico ao se sentirem ameaçados. Alguns fatores que contribuem para que eles se sintam assim são: barulho em excesso, visitas de estranhos e até mesmo ir ao veterinário. Uma boa dica é apresentá-lo a uma caixa de transporte. Faça isso durante um período silencioso e em um cômodo pouco movimentado. Cubra a caixa com uma manta, exceto na parte da frente, e deixe alguns brinquedos e petiscos para incentivá-lo a entrar. Essa caixa servirá como um “refúgio” sempre que ele se sentir ameaçado ou assustado.

Já falamos sobre os 5 melhores pets para apartamento, Confira!

Quer receber dicas animais?

Melhores amigos sabem tudo um do outro :-) Inscreva-se e receba notícias, dicas e promoções. A gente adora contar novidades!

Selecione abaixo como quer compartilhar este conteúdo
Fechar Um e-mail foi enviado para você redefinir sua senha