PARA ANUNCIAR CLIQUE AQUI | GRÁTIS :: PETS E SERVIÇOS

Nosso cachorro morreu: como consolar as crianças?

Autor: Paula Semer
Categorizados em: Adulto Cachorros Dicas Lifestyle Senior Tem pet
Nosso cachorro morreu: como consolar as crianças?

Perder alguém que a gente ama nunca é fácil. Dói, é triste e dá saudade. Com um animal de estimação, com quem convivemos ao longo de anos em um espaço de afeto e intimidade, não é diferente. Para as crianças, muitas vezes, a perda de um companheiro de quatro patas é o primeiro contato com a morte.

“Quando eu era bem pequenininha, tive uma cachorra que se chamava Preta. A gente tinha uma conexão muito forte”, conta a artista plástica Marcela Arantes. Preta havia sido um presente surpresa recebido de sua mãe e as duas tiveram a maior afinidade desde o primeiro encontro. Anos depois, Marcela voltou de uma viagem de fim de semana e a cadela havia morrido repentinamente. “Fiquei muito triste quando me contaram, chorei de soluçar”, relata. Para ela, o maior consolo foram os abraços e a presença das pessoas queridas, tanto em casa como na escola. “O importante é ter alguém que está com você e sabe que a saudade é forte, mas que isso faz parte da vida e vai passar”.

Como ajudar

Reconhecer a dor que a criança está sentido e falar sobre o que aconteceu é fundamental para ajudá-la a compreender a morte do mascote. E o fato de que nascer e morrer é o ciclo natural de todos os seres vivos. Se for muito pequena, ela pode expressar a emoção de formas não verbais, como dificuldade para comer e dormir. Procure acolher, seja qual for a reação. Um ritual de despedida que faça sentido para a família pode ser uma boa ideia. Façam um desenho ou escrevam uma carta para o pet, por exemplo.

Na ânsia de aplacar a dor dos pequenos e trazer de volta a alegria, dá vontade de ter logo outro peludo. Mas os especialistas concordam que essa não é a melhor escolha – ao menos não imediatamente após a morte. O luto tem seu tempo e deve ser vivido inteiramente para que seja superado. Portanto, respeite a criança nesse processo, que pode ser mais longo ou mais curto do que o seu. Independentemente do tempo, confie: vai passar.

Confira nossos serviços!

 Já falamos sobre morte dos pets, Confira
Nosso cachorro morreu: como consolar as crianças?
autor

Paula Semer

Paula Semer é jornalista, está em São Paulo, escreve livros para crianças e dá aulas de yoga. Depois de anos sem pensar em cachorro, acaba de se apaixonar perdidamente por um novo filhote!

Quer receber dicas animais?

Melhores amigos sabem tudo um do outro :-) Inscreva-se e receba notícias, dicas e promoções. A gente adora contar novidades!

Selecione abaixo como quer compartilhar este conteúdo
Fechar Um e-mail foi enviado para você redefinir sua senha