PARA ANUNCIAR CLIQUE AQUI | GRÁTIS :: PETS E SERVIÇOS

Ração para cachorro: tudo o que você precisa saber

Autor: Larissa Bernardes
Categorizados em: Adulto Alimentação Cachorros FIlhote Quer mais 1 Saúde Senior Tem pet
Ração para cachorro: tudo o que você precisa saber

Se você é tutor, provavelmente já se perguntou do que é feita a ração para cachorro. No mercado existem diversos tipos, marcas e preços. Pensando nisso, fizemos um apanhado das principais informações sobre ração para que você fique menos confuso na próxima vez que sair para comprar o alimento do seu pet!

dog-30697_1280

Tipos de ração

  • Comum

São as mais baratas, vendidas geralmente à granel (por peso) em casas de ração e pet shops. Normalmente, essas rações são feitas com subprodutos de cereais como milho, soja e farelo de algodão. Elas possuem uma alta porcentagem de carboidrato, e, na maioria das vezes, não têm a quantidade de proteína necessária para o bom funcionamento do organismo dos cachorros.

  • Standard

São produtos de empresas renomadas, que dominam boa parte do mercado consumidor. As rações são feitas com ingredientes de maior qualidade do que as comuns. Geralmente contêm farinha de carne e ossos, cereais, gordura animal, etc. No entanto, elas ainda estão longe de serem as ideais, porque levam ingredientes pobres nutricionalmente.

  • Premium

Essas rações são classificadas como melhores do que as standards. Elas possuem mais nutrientes e ingredientes com maior digestibilidade para os cães. As rações premium costumam ser mais indicadas pelos veterinários, pois oferecem qualidade considerável por um valor razoavelmente acessível.

  • Super premium

Possuem alta concentração de proteína animal e são produzidas com bem menos corantes e conservantes do que as outras. Elas são produzidas ingredientes mais selecionados e naturais. A principal desvantagem é o preço, que costuma ser bem salgado.

Rações especiais

  • Veganas ou vegetarianas

São rações que não levam nenhum ingrediente de origem animal em sua composição e geralmente dispensam o uso de corante artificial. Os fabricantes desses tipos de ração garantem que toda a necessidade nutricional do pet pode ser suprida com os grãos e vegetais corretos.

  • Doenças e obesidade

Alguns pets possuem necessidades nutricionais especiais, muitas vezes causadas por alguma doença. O mercado oferece rações própria para cães hipertensos, diabéticos, com problemas renais e hepáticos (no fígado) e também para os que sofrem de obesidade.

  • Kasher

Hoje em dia existe até ração para cachorro que segue os princípios do kashrut – leis judaicas que regulamentam a preparação e ingestão de alimentos. Por possuir um cuidado maior com higiene e qualidade, esse tipo de alimentação (não só para pets, mas para humanos também) é bastante aprovada até por quem não segue a religião judaica.ração

Composição

Os principais ingredientes da maioria das rações são:

  • Cereais (soja, milho, etc.);
  • Carne (fresca ou desidratada);
  • Subprodutos animais (ossos, gordura ou vísceras);
  • Corantes;
  • Conservantes.

Ingredientes perigosos

Como já foi dito, alguns ingredientes encontrados nas rações não fazem bem aos animais. Entre eles estão:

  • Carne mecanicamente separada

 Indica que o que tem na ração pode nem ser carne! O processo mecânico de separação da carne que está grudada nos ossos muitas vezes acaba deixando passar uma boa quantidade de gordura e outras partes indesejadas.

  • Corantes

As rações são “pintadas” para se tornarem mais apetitosas aos olhos dos humanos. Uma vez que os cães enxergam em tons amarelados, não faz muita diferença para eles a cor daquilo que estão comendo. Os corantes podem causar reações alérgicas e alterações comportamentais.

  • BHA e BHT

Essas substâncias derivam do petróleo e são usadas como conservantes e antioxidantes por diversas indústrias, inclusive a de cosmético! O BHA foi apontado pela Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (IARC) como potencial cancerígeno. O BHT, por sua vez, pode causar infecções sistêmicas.

  • Milho, trigo e soja com sinal de transgênico (* ou T) 

Alimentos transgênicos possuem o herbicida Glifosato 2,4D, também apontado pela IARC como possível cancerígeno para animais e humanos. 

Como escolher a melhor ração

Agora que você já descobriu como e do que é feita a ração, está mais preparado para saber escolher o melhor tipo para o seu amigão.

Portanto, não vá apenas pelo preço. Você pode até economizar uns trocados escolhendo a ração para cachorro mais barata, mas pode gastar muito mais futuramente se seu pet adquirir alguma doença. Mas, atenção! Nem sempre um preço alto é sinônimo de qualidade. Sempre procure na embalagem se o produto é feito com algum daqueles ingredientes perigosos que mencionamos.

Além disso, leve em conta a fase da vida em que seu pet se encontra, se ele possui alguma necessidade nutricional ou doença que exija uma alimentação especial. O melhor é sempre consultar um veterinário de confiança e manter os exames do pet em dia.

Cachorro pode comer ração de gato?

Por mais difícil que seja controlar o que cada um deles come, principalmente os cães, o ideal é não permitir!

De acordo com especialistas, os cães tem interesse na ração dos gatos por conta do sabor. Geralmente as comidas que são feitas para os felinos acabam tendo uma maior variedade de sabores do que as rações que são oferecidas para os cães.

Mas porque os cães não podem comer? O motivo é simples: a ração do gato contém uma grande quantidade de gordura!

A ração felina pode sobrecarregar o sistema digestivo do cachorro, e ele não está acostumado a digerir uma grande quantidade de gordura. Por isso, a medida em que o cão se alimenta desta ração, ele tende a engordar mais rápido.

Vale lembrar que os riscos relacionados a diabetes e problemas do coração aumentam.

Ração medicamentosa:

As rações medicamentosas são rações para os pets que tem alguma doença, como a diabetes. Elas também podem ser hipoalérgicas ou para combater a obesidade

Meu cachorro não quer comer ração, e agora?

Ração nova: 

Para o cão aceitar uma nova ração, o ideal é oferecer aos poucos. Misture a nova ração com a antiga e ofereça ao animal. É importante que a porcentagem da nova ração cresça de acordo com a aceitação.

Ração antiga:

Antes de qualquer coisa, precisamos ter certeza de que o nosso cachorro está saudável.

O cão pode ficar deprimido comendo sempre as mesmas coisas, além disso, pode ter a necessidade de outros tipos de nutrientes, vitaminas ou proteínas.

Outro fator é que o cão simplesmente não goste da ração ou que seja de má qualidade. Tente outras opções, como a ração úmida.

Não confia muito em ração para cachorro? Você também pode oferecer uma alimentação natural (AN) a seu pet. Conheça melhor esse movimento.

Quer receber dicas animais?

Melhores amigos sabem tudo um do outro :-) Inscreva-se e receba notícias, dicas e promoções. A gente adora contar novidades!

Selecione abaixo como quer compartilhar este conteúdo
Fechar Um e-mail foi enviado para você redefinir sua senha